A parte positiva de uma

A parte positiva de uma "Crise"​

Em todos as situações da vida há sempre perspectivas diferentes de análise. Há quem se fixe apenas nos problemas e veja o copo meio vazio ou totalmente vazio e há quem procure outras formas de ver o mesmo copo, meio cheio ou mesmo, cheio de outras coisas diferentes.

Boas ou más, todas essas coisas, dependem da perceção de cada pessoa e da forma como entende enfrentar esse bicho papão que é o MEDO, o principal adversário que existe no cérebro e na mente de cada um de nós.

Pessoalmente, prefiro encarar a "Crise" como um grande Desafio e uma Oportunidade. Talvez por gostar muito de futebol, entendo que os desafios, tal como as finais, existem para se ganharem, assim como o jogo do "mata-mata".

Grande Desafio porque nunca em tempo algum vimos algo semelhante do ponto de vista social em tão larga escala, tal como nunca o conceito da globalização foi tão fácil de entender como agora. E o Desafio é enorme, implica dominarmos esse sentimento primário, o MEDO e agirmos em conformidade, em solidariedade e com racionalidade acima de tudo!

Oportunidade, porque será esta talvez, a forma de estreitarmos as relações num núcleo de proximidade afetiva com aqueles que fazem parte do motivo da nossa existência. E quem sabe se não será esta uma oportunidade do ser humano se reconciliar consigo próprio, refletindo sobre a prioridades da vida, a impermanência das coisas e a sua volatilidade.

Acredito que, as emoções irão extremar-se, iremos ver o pior e o melhor do ser humano. Mas como referi anteriormente, tudo depende da forma como cada um de nós quer ver o seu copo.

O tempo é de consciencialização, reflexão e ação, sem dúvida que muita coisa irá mudar na vida de todos, seja a que nível for, uns mais e outros menos, mas nada será como antes e acredito que cabe a cada um decidir de novo o "copo" que quer.

"Imagine there's no heavenIt's easy if you tryNo hell below usAbove us only skyImagine all the peopleLiving for today"

O que cada pessoa quiser ver, verá. O que quiser ser, será. E o que quiser dar, dará, pois será este um momento, quiça o mais crítico das nossas vidas em termos coletivos, pois ditará o futuro da humanidade, disso não tenho dúvida.

Heitor Fox (Neurocoach/Trainer )

#Pain Researcher